Entrevista com a autora Nega Fulor da novel Deuses Caídos da Criação

Entrevista com Nega Fulor de Deuses Caídos da Criação

Nega Fulor é uma escritora brasileira que publica sua web novel, Deuses Caídos da Criação, na 3Lobos. Com mais de 15 anos de experiência como escritora, Nega Fulor narra a história de Alésia Latrell, uma jovem que vive em um mundo onde a tecnologia e a magia coexistem. Por isso, teremos um artigo diferente desta vez, pois será uma entrevista com a Nega Fulor da novel Deuses Caídos da Criação!

Nega Fulor, de onde veio esse seu pseudônimo?

“Eita, foi longe! É bem antigo. Desde que eu nem era gente ainda (não que eu seja agora). Quando eu era pequenininha, pessoal de casa gostava da música “Pisa na fulô”, então começaram a me chamar de Fulô. Por causa do poema, eu acho, acabei pegando o Nega também. Desde então, toda minha identificação na internet vem sendo Nega Fulô.”

E a Alésia? Ela é uma personagem bastante interessante. De onde saiu a inspiração para escrever a história dela?

“Eu gostava muito de ler e de ver filmes. Ficção científica sempre foi o meu estilo preferido… Então, quando eu estava sem nada pra fazer eu sentava quietinha num canto e começava a imaginar coisas, cenários, mundos diferentes e com o tempo eu comecei a preencher esses mundos com personagens e, eventualmente, uma história. E toda história precisa de um MC. Pessoalmente, eu sou feminista. Não daquele tipo chato, que pega no pé dos caras sobre isso e aquilo ser machista – nunca militei. Mas eu acredito que as histórias das mulheres devem ser contadas. Nem todas as mulheres são fortes, mas elas aprendem a ter força. Todos têm os seus momentos de fraqueza e todos começam de algum lugar. Então, a Alésia é esse começo. É quando uma garota qualquer, sem perspectiva nenhuma, aprende a ser forte.”

Realmente, pelo que lemos, Alésia começa sua jornada como qualquer outro MC, e os problemas enfrentados pelo fato de ela ser uma mulher só trazem maior profundidade ao seu personagem. E pensando nessa perspectiva, alguns leitores sempre fazem questão de enfatizar que não leem histórias cujas personagens principais são mulheres. Qual é a sua opinião sobre isso?

“Gosto é gosto, afinal de contas. Mas acho que é apenas uma falta de perspectiva que estas pessoas não se permitem explorar. Eu por exemplo (me condenem) DETESTO Senhor dos Anéis. A escrita é longa, difícil, extremamente detalhista (olha quem tá falando) e a única vez que eu dormi vendo um filme foi na Sociedade do Anel. Só que eu não posso simplesmente levantar o dedo e dizer que Senhor dos Anéis não presta. Aquilo é uma bíblia para fantasia de modo geral. O cara simplesmente inventou o maior universo de fantasia até hoje. Quisera eu chegar ao menos a ter 2% daquilo. Então, tudo é questão de saber dar uma chance.”

Alguns leitores notaram que, na capa de DCC, Alésia está com o cabelo comprido, mas você descreve que ela tem cabelo curto.

“Sobre isso, a parte atual de DCC, que corresponde ao desenho da capa, já se passaram alguns anos. Ela não vai mais [spoiler] entender o tempo passando como as outras pessoas, já que ela ganhou a juventude eterna. Então ela escolheu não cortar o cabelo, por que ele é o único que muda. [spoiler] Além disso, o cabelo é uma coisa muito importante para as mulheres de modo geral. Seja curto, raspado, comprido, colorido, é uma das principais formas de expressão. Mesmo que isso não seja muito mencionado na história, eu gosto de pensar que é como ela expressa o tempo de vida dela pelos longos cachos.”

Entendi. Bom, DCC também tem outros personagens interessantes. Alguns de nossos leitores sempre pedem: o que é que o Marco quer, afinal?

“Tecnicamente, ele quer o controle de tudo, porque ele acha todo mundo burro demais pra viver do jeito que quiserem. E, caramba, ele é o imperador da galáxia!! Abaixem as cabeças e obedeçam, ora pois! Mas, você só vai descobrir a resposta exata no fim do arco atual. Te garanto que vai ser uma baita de uma sacanagem mua ha ha ha. Existem sempre certas discrepâncias entre o que se quer e o que tem que ser feito.”

Henry tem um papel fundamental na história, certo? Você poderia nos dizer o que esperar do Henry no futuro?

“Eita… pegou pesado. kkkkkk. Henry é claramente o príncipe encantado da história. Deixando claro desde o princípio que DCC também é um romance, e que haverão capítulos em que o romance será o objetivo, Henry é o fogo e a loucura que arde atrás do amor de Alésia. E é claro que, à medida que a relação deles cresce, só podemos esperar mais.”

Já que falamos do Marco e do Henry, não poderíamos esquecer da Petra. Você poderia nos dar uma palhinha do que esperar dela neste segundo arco?

“Hum… A Petra não gosta da Alésia. Isso é um fato. Mas elas aprenderam a se tolerar. O lado bom dela é que ela é uma onisciente poderosa e honesta. A ajuda dela vai ser extremamente importante nos conflitos que estão por vir.”

Então pelo visto poderemos esperar muitos conflitos entre Alésia e Petra, hehehe.

Mudando de assunto, como foi a sua jornada como escritora? Digo, como que você iniciou e como chegou até DCC?

“Sinceramente, eu era uma merda escrevendo quando era adolescente. Eu ainda sou duríssima com ortografia. E olha que entre eu e meus irmãos, eu sou a que teve menos problemas. Entre autismo, dislexia e tal (não é nenhuma vergonha) uma das técnicas que me passaram para driblar as dificuldades foi escrever. E foi o que eu fiz. Eu escrevi, escrevi e escrevi… Tenho cadernos e mais cadernos escritos à mão cheios de histórias apenas para praticar. DCC é uma dessas histórias que estava parada num desses cadernos por anos, e resolvi dar vida quando descobri o mundo das web novels.”

Última pergunta. Nós temos muitas pessoas que desejam escrever a sua história. Você tem alguma dica para elas?

“Durmam com um caderno do lado. De verdade. Sabe aquele sonho louco que você acorda pensando: Caramba! Ai dois segundos depois, você esqueceu completamente? Pois é… anote. E outra coisa: Planeje a sua história. Sair escrevendo do nada pra lugar nenhum, é muito frustrante. Tire um tempo pra planejar e quando começar a escrever já saiba pra onde você quer ir. Melhora bastante o seu desempenho.”

DCC é realmente uma web novel diferente das várias que vemos por aí. Nós falamos sobre ela aqui no Palácio do Dao. Além de ser uma história com uma mulher como personagem principal, DCC é narrada em primeira pessoa, porém não apenas pela personagem principal, mas sim por vários personagens, mostrando diversos pontos de vista diferentes.

No início ela começa um pouco lenta, mas quando a Ruiva de Sangue aparece… Ah, aí sim as coisas começam esquentar. Esperamos que tenham gostado desta entrevista. E, para não perder tempo, você pode iniciar a leitura de DCC direto no primeiro capítulo, agora mesmo!

Profissional de Marketing, viciada em séries e uma nova leitora da novel Against the Gods.

  • Eita, olha só, a famosa Nega Fulor deu as caras entre os mortais.

    • Nega Fulor

      Nem sabia que eu tava famosa não kkkkkk
      Sou tímida, mas da pra me achar certinho lá no canal da 3Lobos todo dia XD

  • Uia saiu a entrevista então! Show de bola! Fiquei impressionado por terem conseguido evitar os spoilers de Star Wars, ao menos…