10 técnicas narrativas para escrever uma novel de sucesso

novel de sucesso

Resolvi juntar algumas técnicas narrativas do que aprendi quando cursei Letras e da minha experiência com copywriting para te ajudar a escrever uma novel de sucesso.

Escrever uma Novel de sucesso

Se você foi impactado por este universo e quer escrever sua própria história, é interessante aproveitar algumas das técnicas narrativas abaixo para que sua história seja ainda mais completa.

O roteiro é super importante para o sucesso de qualquer novel, mas há dicas que podem dar ainda mais emoção ao roteiro que você definiu. E consequentemente aumentar suas chances de publicação em sites mais populares como Novel Mania e Saikai Scan, por exemplo.

1. Elipse

A elipse refere-se à omissão intencional de códigos e/ou informações facilmente identificáveis pelo contexto, por elementos, códigos ou significados construídos por sucessões de “imagens sequenciadas”, permitindo que o leitor preencha as lacunas narrativas.

É muitas vezes representada em textos pelo sinal de reticências(…) ou (***).

A grande maioria das histórias usa elipses para limpar ações que não agregam nada à narrativa. Além dessas elipses de “conveniência”, elipses também são usadas para avançar a história.

2. Suspensão de descrença

Suspensão de descrença, suspensão de descrédito ou ainda “suspensão voluntária da descrença” refere-se à vontade de um leitor ou espectador de aceitar como verdadeiras as premissas de um trabalho de ficção, mesmo que elas sejam fantásticas, impossíveis ou contraditórias.

É a suspensão do julgamento em troca da premissa de entretenimento.

3. Cliffhanger

Cliffhanger, na tradução literal para a língua portuguesa “à beira do precipício”, ou “à beira do abismo”, é um recurso de roteiro utilizado em ficção, que se caracteriza pela exposição do personagem a uma situação limite, precária, tal como um dilema ou o confronto com uma revelação surpreendente.

Geralmente, o cliffhanger é utilizado para prender a atenção da audiência e, em casos de novels, fazê-la aguardar ansiosa o próximo capítulo ou volume, na expectativa de testemunhar a conclusão dos acontecimentos que o público espera ser chocante.

4. Monólogo Interior

O monólogo interior revela os pensamentos íntimos da personagem. Ele mostra as experiências emocionais que ocorrem, a nível consciente e inconsciente.

O monólogo interior conecta o leitor à mente da personagem e podemos usá-lo citando os pensamentos exatos, sumarizando-os ou fornecendo uma perspectiva geral dos mesmos.

5. Emoção Interior

Ligados pelo que sentem – O leitor é guiado através dos sentimentos da personagem. Usar a Emoção Interior significa reforçar o poder de passar a mensagem, uma vez que colocamos o leitor nos sapatos da personagem.

Podemos mostrar as respostas fisiológicas que a personagem está sentindo.

6. Anacronia

Anacronia é a alteração da ordem em que os acontecimentos têm lugar na história. Dispensar a ordem cronológica (passado/presente/futuro) permite fornecer informação importante, no momento em que é necessária, sem alongar a narrativa e sem aborrecer o leitor.

Analepse é um salto ao passado. Prolepse é uma antecipação do futuro, seja por premonição ou projeção. Em ambas, há que ter cuidado com as transições.

7. Diálogo

O Diálogo é algo que podemos ouvir, que não precisa de resumos ou ‘diz que disse’. É um tipo especial de ação que ocorre agora, sem cortes ou edições, parte integrante do Mostrar, ao invés de Contar.

8. Ação

O poder do ‘agora’ – a ação é algo que acontece sempre no presente. É aquilo que se está se desenrolando no agora, que podemos ver, ouvir, cheirar, saborear ou sentir.

9. Descrição

Descrever serve para colocar o leitor na pele da personagem. É criar uma ligação de sentidos entre ambos em que, o que ele vê, cheira, ouve, prova ou toca, provoca as mesmas sensações naquele que lê (ou, quando bem feito, provocaria).

Muitas pessoas já estão cansadas das ‘peles de jade’, ‘clavículas perfeitas’ e ‘montes nevados’, então pense com cuidado nas suas descrições.

10. Sumário Narrativo

Consiste em sumarizar acontecimentos que ocorreram noutro momento que não o presente. É uma descrição de vida estagnada, de algo que existe neste momento mas que não está a sofrer qualquer mudança.

O Sumário Narrativo, ao contrário da Descrição, não é vívido e imediato mas é eficiente. Sem a emoção do Diálogo ou da Ação, o Sumário Narrativo é útil, e pode ser transformador se usado com moderação. Serve para planear, lembrar, descrever ou sumarizar e deve ser usado com cuidado acrescido no caso dos escritores principiantes (tendem a abusar disto!).

Conclusão

Aproveite as técnicas, mas não seja excessivo quanto ao uso e aplicação, combinado? Quando sua novel estiver com uma boa quantidade de capítulos envia para a gente publicar como uma dica de leitura.

Profissional de Marketing, Editor da novel Against the Gods na Novel Mania e apaixonado pelo gênero Xianxia e por boa parte das novels chinesas.

  • GabrieruTheXavoso

    Embora ATG seje otimo p passar emoçaum interior e cliffhangers, ele é um pau no cool na descriçao. Vcs deveriam dizer pro autor de ATG pra naum ser excessivo nas descriçes, tem uns q saum quase dois FUCKING capitulos inteiros p falar de jade e de clavicula, eu fico bolado.

  • GabrieruTheXavoso

    Vlw por esse compiladaum aê, eu sempre penso em criar uma historia (varios tipos de isekai me vem a cabeça), mas sou muito preguiçoso e se eu começar uma e ficar mt bosta eu provavelmente naum vou continuar, mas com isso talvez me incentive a criar algumas paradas só p mim, ou colocar no wattpad só de brincadera.
    Simplesmentte genial essa lista, parabens pelo trabalho de vcs (^3^)

  • Davi Nadolny

    Muito Obrigado Alexandre Nunes. Não estudei letras, então nunca tive em conta as técnicas para escrever. Pois como sempre fui amante da leitura e da escrita, e nunca perco uma oportunidade de narrativa, ou principalmente de montar esboços Teológicos (Que é a minha área)
    Mas para falar a verdade, no final boa parte dos 10 conselhos dado por ti, eu seguia, mesmo que incociente KKK Provavelmente, pela muita leitura, a mente acabava captando o mais importante do conteúdo lido, e assim montava a base da narrativa. Porém que agradecer pelos 10 exemplos que você nos deixou, creo que vai ser de grande ajuda para muitos. Para mim mesmo vai ser proveitoso, porque assim posso sistematizar minha escrita, e colocar em prática o que eu não tinha levado em conta ainda.

    E tomara que depois disso, mais Brasileros se animem a escrever novelas. Os que tem aparecido até agora, não tem decepcionado.

    E você Alexandre Nunes, quando vai escrever uma novela de sus autoria? Já que já tens a faca e o queijo na mão. Um Abraço!